Os principais acordos ambientais globais estão em perigo?

Aquecimento global

O candidato à presidência dos EUA, Donald Trump, acredita que o aquecimento global é um mito e afirma que, se ganhar, os Estados Unidos não vão reduzir as emissões de gases de efeitos de estufa. Ele descreveu o aquecimento global como uma farsa difundida pela China para ganhar vantagem competitiva na indústria em relação aos Estados Unidos, uma teoria excêntrica até mesmo entre os céticos das mudanças climáticas.

Trump afirmou que, caso seja eleito, pretende “renegociar” os termos do acordo de Paris, do qual não é “grande fã”.

Este acordo estabelece que 196 nações se comprometam a limitar o aquecimento global abaixo dos 2 graus, e a ajudar países em desenvolvimento a lidarem com o impacto das mudanças climáticas.

Quando perguntado sobre o que mais lhe preocupava neste momento, o representante de Mali e presidente do grupo de países africanos, Seyni Nafo, não hesitou: “Que Trump ganhe a eleição”.

Donald Trump Aquecimento GlobalPor muito tempo, os Estados Unidos foi o país que mais poluiu o planeta, atualmente perdendo o posto para a China.

Desviando-se de um Congresso obstinado e sob o controle republicano, o presidente americano, Barack Obama, usou seu poder executivo para confrontar agressivamente o aquecimento global. Durante o seu governo, o país se converteu em um impulsor para que o acordo de Paris fosse adotado em dezembro passado, com o objetivo de reduzir as emissões mundiais de gases de efeito estufa.

Já durante o mandato de Georges W. Bush, aconteceu o contrário. Em 2001, ele se negou a ratificar o protocolo de Kioto, bloqueando a evolução do processo e provocando o abandono do tratado por Canadá, Japão e Rússia.

Os especialistas acreditam que mesmo que seja eleito, Trump não terá poder para modificar o acordo de Paris. O republicano poderia, no entanto, “atrasar a dinâmica”.

“Mas o que ele quer realmente ‘renegociar’?”, questiona o especialista americano Alden Meyer. “Não acho que ele entenda o que é esse tratado, nem toda a força que há por trás”, lamenta.

“Efetivamente, o que ele não gosta, ou o que lhe disseram que não deveria gostar, é o compromisso de Obama para reduzir as emissões americanas”, acrescenta Meyer.

Mais que retirar os Estados Unidos do acordo de Paris, o que levaria quatro anos de trâmites depois de sua ratificação, os observadores temem que Trump desmantele as medidas ambientais do país já em vigor, como políticas de proteção do ar e consumo de combustível dos veículos, sendo mais um grave impedimento ao meio ambiente e a tentativa de controle do aquecimento global.

E você, o que acha de Donald Trump ganhar as eleições americanas e qual seria seu impacto nos esforços ambientais mundiais?

Comente abaixo e dê a sua opinião!

Referências:

http://www.dn.pt/mundo/interior/trump-quer-anular-acordo-do-clima-assinado-com-as-nacoes-unidas-5195939.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/10/dicaprio-e-obama-pedem-mobilizacao-sobre-mudanca-climatica.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/05/eventual-vitoria-de-trump-ronda-reuniao-sobre-clima-na-alemanha.html

Share

Gabriel Lima é graduado em Ciências Biológicas, e assistente de redação no eFlora Web. Considera-se um admirador das plantas e amante da Botânica.