O sistema IBGE e a classificação da vegetação

O sistema IBGE e a classificação da vegetação

Você já leu o Manual de Classificação da Vegetação Brasileira adaptada a um sistema Universal?

Essa é uma pergunta que eu sempre faço nos meus cursos presenciais.

Trata-se da fonte oficial para classificação da vegetação. Você pode obtê-lo através deste link.

Esse sistema oficial da classificação da vegetação brasileira foi lançado em 2012, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o qual aperfeiçoou o sistema fisionômico-ecológico proposto por Henrique Pimenta Veloso na década de 1980, quando este atuou como assessor do projeto RADAMBRASIL.

Além da fisionomia, este sistema engloba noções ecológicas, levando em conta o clima, o solo e a atitude.

Possui como principal vantagem a adaptação do sistema de classificação da vegetação brasileira a uma linguagem universal, ou seja, cada tipo de vegetação recebe uma denominação passível de ser reconhecida tanto por brasileiros quanto por estrangeiros.

Acompanha esse nome universal o termo regional, o que facilita o seu reconhecimento.

Para ambientes tropicais, a fisionomia é um dos principais critérios utilizados para reconhecer tipos de vegetação, pois permite uma classificação simples e prática, que não requer treinamento muito especializado.

No entanto, é comum que sistemas hierárquicos de classificação da vegetação adotem critérios ecológicos e florísticos, os quais exigem conhecimento técnico do interessado para a aplicação correta.

A melhor forma de você entender a variação da vegetação é através de deslocamentos lineares.

Por meio deles, você entende a dinâmica de variação da vegetação, os fatores associados e as pressões do próprio ambiente para a modificação da paisagem.

Note a tabela abaixo retirada do próprio manual.

Classificação da vegetação

Figura 1: Informações básicas para a classificação da vegetação BRASILEIRA retirado do sistema do IBGE.

Verifique que o sistema é hierárquico e inicia da esquerda para a direita. Quando definimos uma Floresta como FLORESTA OMBRÓFILA DENSA MONTANA de DOSSEL, devemos entender que:

– A estrutura é FLORESTAL

– O clima é OMBRÓFILO

– A fisionomia é DENSA

– A formação propriamente dita é MONTANA.

Trata-se de um sistema predominantemente fisionômico-ecológico capaz de nomear qualquer tipo de vegetação independente do domínio fitogeográfico que você se encontra.

Afinal, a formação Floresta Ombrófila Densa pode ser verificada no domínio Mata Atlântica e no domínio Amazônico. Certo?

O aspecto florístico é inserido no momento da definição desta tipologia, já que um conjunto de espécies geralmente nos auxilia muito na tipificação da vegetação.

Afinal, há espécies típicas de uma ou de outra fitofisionomia.

Portanto, antes mesmo de partir para a classificação sucessional, você deve definir adequadamente qual é a vegetação foco do seu estudo.

A Figura 1 não inclui, no entanto, as vegetações edáficas classificadas pelo próprio IBGE como Formações Pioneiras.

São exemplos: os Manguezais, as vegetações sobre Restingas Litorâneas e afloramentos rochosos.

Dessa forma, eu sugiro muito que você baixe o manual e o estude. Quando eu iniciei a minha trajetória na área, estudar o manual do IBGE e ler o livro “Tratado de Fitogeografia do Brasil” do Carlos Rizzini foram inspirações para que eu pudesse entender melhor a distribuição da vegetação.

Agora, você sabia que há algumas iniciativas interessantes dentro da academia de outros sistemas de classificação de vegetação Brasileira que buscam redimir as lacunas deixadas pelo sistema do IBGE, atualizado em 2012?!

Esse será o próximo tema dos meus posts sobre Fitogeografia aqui no eFloraWeb!

Continue acompanhando as postagens e não deixe de compartilhá-las a seus amigos e colegas de trabalho.

Até a próxima!

Rodrigo Trassi Polisel (E-mail: [email protected])

Share

Esta é a coluna oficial do eFlora Web, onde traremos periodicamente informações, dicas e conteúdos relacionados à área de Botânica, Biodiversidade e Meio Ambiente. O objetivo aqui é ser mais um canal direto com você, internauta. Sinta-se à vontade, este espaço é seu!