Resumo e Resenhas são a mesma coisa?

Resumo e Resenhas são a mesma coisa?

RESUMO

Apesar de semelhantes à primeira vista, resumo e resenha são gêneros textuais diferentes. São práticas comumente requisitadas nas escolas, faculdades e cursos livres. Precisamos formulá-los ao longo dos procedimento de elaboração do nosso TCC, tese, monografia ou até mesmo quando buscamos submeter um trabalho a uma congresso ou na submissão a uma agência de fomento na forma de projeto de pesquisa.

Mas sempre que nos é requisitado um resumo ou uma resenha “bate” aquela dúvida: qual a diferença mesmo? São tão parecidos! Calma! Vamos relembrar neste post as diferenças entre resumo e resenha e trazer um roteiro prático de como elaborar cada um deles 😉

Aproveite as dicas! Fico no aguardo dos seus comentários.

Se você gostou, não deixe de compartilhar o post para seus amigos e colegas.

_________________________________________________________________________

Resumo ou síntese é uma extração das ideias principais da obra, parte dela ou de um texto. Não significa diminuir o número de palavras utilizadas no texto original. Deve-se seguir as ideias e linha de raciocínio propostas pelo autor, expondo-as com as suas palavras. Ele é neutro, não exprime nenhuma opinião ou julgamento sobre o seu conteúdo.

A análise temática serve de base para a construção do resumo. Ele busca responder algumas perguntas, dentre elas: do que se fala o texto (tema ou assunto)? Qual o problema apresentado (problematização)? Como é solucionado ou respondido este problema (ideia central ou proposição)? Qual foi o raciocínio utilizado (argumentação)?

Certo, mas como devo construir um resumo? Segue abaixo uma sugestão de roteiro:

resumo2

  • 1- Inicie pelo cabeçalho. Cite os dados bibliográficos do texto;
  • 2- Selecione as ideias principais. Ressalte os objetivos, métodos, resultados e conclusões do texto. Evite elementos redundantes e aspectos não cruciais do texto original.
  • 3- Palavras-chave. Selecione as palavras que melhor caracterizam o tema abordado no texto. Atenção! Elas não podem ser as mesmas utilizadas no título.

Já resenhas envolvem uma análise crítica, comentários sobre o que foi lido. Segundo Antonio J. Severino (2016), as resenhas podem ser:

  • – meramente informativas, expondo apenas o conteúdo do texto;
  • – crítica, quando traz o valor e o alcance do texto; ou
  • – crítica-informativa, quando traz o conteúdo e comentários sobre a leitura do texto.

Para construir uma resenha, você precisa realizar uma leitura cuidadosa, anotando-se trechos que poderão ser citados ou parafraseados. Ela pode ser feita sobre um texto científico, DVD, filme, site, livro, capítulos ou até sobre um grupo de obras.

Mas para que serve uma resenha? Ela traz de uma maneira fácil e clara informações sobre um texto, seguido de sua recomendação positiva/negativa. Através dela o leitor poderá se decidir pela leitura ou não. Mas cuidado! Ela não deve ser escrita com a intenção de se substituir a leitura original e nem alienar o leitor. De maneira concisa e escrita na forma e texto corrido, deve trazer de maneira objetiva as informações do texto, sua análise e opinião, sem se estender de maneira demasiada.

Que tal um roteiro de como construir uma resenha?

resenha

 

  • 1- Inicie pelo cabeçalho. Cite os dados bibliográficos do texto;
  • 2- Título da resenha e nome do resenhista. Esse item varia de acordo com as regras propostas por quem requisitou a resenha.
  • 3- Quem é o autor? Caso o autor não seja conhecido, traga uma breve informação sobre ele no primeiro parágrafo;
  • 4- Qual o gênero da obra? Apresenta relação com alguma obra previamente publicada?
  • 5- Resuma o conteúdo do texto de maneira objetiva. Privilegie as ideias principais do texto, seus objetivos e linha de raciocínio do autor. A linguagem usada, época retratada, tema ou personagens principais. Esta é a parte em que a resenha se assemelha a um resumo;
  • 6- Em que o autor se baseou? Traga os meios, leituras, informações e recursos usados pelo autor na construção do seu texto;
  • 7- Faça um comentário crítico. Avalie o texto que acabou de sintetizar, trazendo seus pontos positivos e negativos, ou seja, quais são os seus méritos e problemas. Como? Diga qual é a sua contribuição, se é original, se é bom ou ruim, se possui falhas… Enfatize o que o autor fez ou desejava fazer, e não o que ele poderia ter feito na sua opinião. Você pode optar por fazer esta análise ao longo da exposição das ideias principais do texto. Cuidado! As críticas e comentários devem ser dirigidos ao texto e não de maneira pessoal ao autor. Baseie-se apenas em argumentos construídos por você, pela sua leitura. Não cabe citar comentários de outros autores aqui.
  • 8- Público-alvo é opcional. Dependendo do objetivo da resenha pode-se apontar o público-alvo a quem a leitura da obra é recomendada

 

Uma forma de enriquecer a sua resenha é contextualizar a obra tanto em relação ao momento histórico-cultural em que se insere como também a outras obras do mesmo autor e de outros. Dependendo da sua extensão, a resenha pode se tornar um ensaio.

Portanto, pratique a elaboração de Resenhas, pois se trata de uma excelente forma de você fixar muito mais o conteúdo que você precisa extrair da leitura de artigos científicos e capítulos de livro ao longo de seus estudos e pesquisas.

Caso ao terminar de ler esse texto, tenha surgido alguma dúvida, deixe o seu comentário abaixo que continuamos a conversar a este respeito.

 

Referências:

Antonio J. Severino. Metodologia do Trabalho Científico. 24˙edição. 317 pp. São Paulo: Cortez, 2016.

http://pedagogiadasletras.blogspot.com.br/2011/11/diferencas-resumo-x-resenha.html

http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/bitstream/handle/mec/16228/?sequence=10#conteudo-introducao

http://brasilescola.uol.com.br/redacao/diferencas-entre-resenha-critica-resumo.htm

https://www.infoenem.com.br

https://www.infoenem.com.br

https://www.infoenem.com.br

https://www.infoenem.com.br

Share