O método CORRETO para a identificação de plantas desvendado

identificação de plantas

Neste post, gostaria de discutir um pouco os métodos de identificação de plantas em seu trabalho na área ambiental.

Quanto tempo você gasta para reconhecer uma planta?

É claro que depende muito a que família pertence a espécie.

Se você está identificando uma Rutaceae na Floresta Semidecidual do interior paulista é uma coisa.

Embora haja várias espécies, elas possuem diferenças notáveis entre si.

Agora, se você estiver identificando uma Myrtaceae coletada na Floresta Ombrófila Densa da encosta atlântica também do Estado de São Paulo, a sua dificuldade será muito maior.

Há inúmeras espécies e várias são muito semelhantes entre si.

Nos casos que nós não conseguimos reconhecer no campo, a recomendação é sempre efetuarmos a coleta do material botânico para a identificação a posteriori.

Eu possuo um vídeo muito interessante no meu canal do YouTube sobre Herborização de Material Botânico.

Caso não tenha assistido ainda e possua dúvidas sobre o tema, aproveite para dar uma espiada agora mesmo abaixo.

Uma vez coletado o material, você terá a árdua tarefa de proceder à identificação.

Aqui, começam os problemas. Certo?

Se você inicia a identificação de plantas a partir dos livros abaixo representados, eu devo lhe dizer que a sua chance de sucesso será MUITO baixa!

Agir dessa forma o(a) coloca na categoria daqueles que usam o método “caça às bruxas” de identificação botânica.

Devo dizer que esse é o método mais desestimulante que existe.

Livros guias identificação de plantas

Foto 1: Manuais de Identificação de Plantas disponíveis por aí. 

Trabalho há anos para compartilhar e disponibilizar conteúdos que sejam realmente práticos a quem não é botânico(a), mas precisa avançar em matéria de identificação de plantas.

Seja porque é consultor(a) ambiental, analista de órgão público e trabalha na fiscalização ambiental, policial ambiental ou simplesmente deseja saber o nome daquela árvore que há na rua da sua casa, no quintal do vizinho ou nasceu no pomar do sítio da família.

Através dos cursos que periodicamente ministro, consegui evoluir e gerar um material realmente funcional e completamente didático capaz de auxiliar a todos(as) que buscam avançar nessa área.

Os meus alunos inclusive apelidaram a metodologia de “método Brasil Bioma de Identificação de Plantas” ou método “pente fino”.

cursos de identificação botânica

Esse método é muito simples e eu vou compartilhá-lo com você nesse post.

Para que ele seja viabilizado, é necessário que você siga os seguintes passos desde o campo até o reconhecimento da espécie:

  • Coleta de ramo ADULTO (de preferência fértil);
  • Reconhecimento da FAMÍLIA BOTÂNICA a qual o material pertence através da minha chave de identificação de famílias e principais gêneros dos diversos domínios Brasileiros ou a própria espécie, caso a região possua alguma chave de identificação de plantas regional (saiba mais sobre as chaves regionais nesse post);
  • Após reconhecer a família através da chave de grupos da Brasil Bioma, verificar se não há nenhuma chave regional de identificação de espécies. Se não houver, siga para o passo seguinte;
  • Usar a partir de agora o Método “pente fino” ou “método Brasil Bioma de Identificação de Plantas”!
  • A partir do “pente fino”, você inicialmente deve obter uma LISTA DE ESPÉCIES DO GRUPO BOTÂNICO IDENTIFICADO de ocorrência REGISTRADA para a região (se você identificou como Rutaceae. Verifique quais as Rutaceae que ocorram na região que está trabalhando). Faça isso utilizando a plataforma do SpeciesLink efetuando uma busca pela localidade da sua coleta ou encontre um levantamento florístico ou fitossociológico realizado na região do seu estudo (Utilize as seguintes palavras-chave em sua pesquisa no Google: florística, fitossociologia, flora, “nome do município”;
  • Agora, você tem uma lista das espécies da família ou gênero que VOCÊ JÁ IDENTIFICOU. Então, pesquise a espécie com base nessas que tem ocorrência constatada para o local do seu estudo;
  • Volte aos Guias Fotográficos procurando as espécies de ocorrência constatada nesses guias e comparando com o seu material. Observe sempre a distribuição geográfica. Utilize o Google Imagens na busca, mas muito cuidado com a fonte da pesquisa!;
  • Persistindo a dúvida, consulte Revisões Taxonômicas e Herbários Virtuais que disponibilizam o acervo em fotografias digitais;
  • Se você chegou até aqui e ainda não resolveu a identificação de sua planta, a sugestão é: Entre em contato com o especialista e envie o material (foto em boa resolução incluindo flor ou fruto de preferência ou o ramo herborizado). Para saber o especialista que trabalha com o grupo que está identificando, vou dar a você uma dica quente. Acesse o site da Flora do Brasil e digite a família que está trabalhando. Verifique no rodapé quem é o pesquisador taxonomista responsável pela informação. Procure o contato dele para verificar se ele pode confirmar a sua identificação.

Portanto, você necessita passar a usar esses livros (Foto 1) tão lindos com fotos de belíssimas árvores no momento certo.

O momento de utilizar essa bibliografia será após utilizar a minha chave de identificação de plantas e reconhecer o grupo ao qual o material pertence.

Chave de identificação de plantas - Brasil Bioma

Trata-se, portanto, de uma ferramenta de utilização pontual e não deve representar a sua estratégia principal de busca!

Além disso, deve passar a utilizar a internet na busca de lista de espécies regionais capazes de deixa-lo(a) mais próximo da espécie que busca, uma vez que reconheceu a família ou gênero ao qual ela pertence.

Sua busca deve passar a ser direcionada e não um “caça às bruxas”.

Portanto, ao invés de passar muitas horas debruçado(a) nesses livros, você passará apenas alguns minutos e saberá de fato se ele lhe será útil para você ou não.

Lembre-se, sempre, que esses manuais estão organizados por ordem alfabética de famílias.

Então, se você já sabe a família, use o Índice Geral.

Agora, se você já sabe o gênero, verifique se ao final do livro está organizado o índice remissivo de nomes científicos.

Se houver, você deve utilizá-lo para encontrar a espécie dentro do gênero que você já sabe que o material pertence.

Você tem duas formas de obter a minha Chave de Identificação de Plantas, capaz de auxiliá-lo no reconhecimento de árvores, arbustos e trepadeiras de seu interesse:

A vantagem de adquirir o acesso ao meu curso “O Segredo da Identificação de Plantas” é que você obterá uma senha personalizada para assistir a estes conteúdos durante vários anos e, ainda, receberá todas as atualizações da minha chave que costumam ocorrer semestralmente direto na sua área de membros e sem pagar nada a mais por isso.

Você participará ainda do meu grupo exclusivo no Facebook dos alunos do Curso Online.

Poderá trocar informações, networking e continuar estudando e praticando através da nossa plataforma de educação continuada.

Ambos os produtos têm recebido ótimas recomendações de nossos assinantes e você pode assistir vários depoimentos clicando aqui!

Faça a sua escolha e evolua!

Você ficou com alguma dúvida sobre o conteúdo compartilhado?

Deixe o seu comentário abaixo e interaja diretamente comigo.

Espero que tenha gostado desse conteúdo e até a próxima!

Rodrigo Trassi Polisel (E-mail: [email protected])

Share

Esta é a coluna oficial do eFlora Web, onde traremos periodicamente informações, dicas e conteúdos relacionados à área de Botânica, Biodiversidade e Meio Ambiente.O objetivo aqui é ser mais um canal direto com você, internauta. Sinta-se à vontade, este espaço é seu!