10 Dicas para escrever bem TCC, teses, dissertações, monografias e projetos de pesquisas

10 Dicas para escrever bem TCC, teses, dissertações, monografias e projetos de pesquisas

Olá! Sou a Marina Kizys, bióloga pela USP e doutora em ciências pela UNIFESP. Sou a mais nova colaboradora do Portal eFlora e eFlora Web! Junto com o Rodrigo, organizo os cursos presenciais da Brasil Bioma. Fazer ciência, compartilhar conhecimentos e conhecer lugares são minhas grandes paixões. Irei, a partir de agora, dividir com vocês o que aprendi ao longo destes anos na academia e em eventos que participei. Aqui no eFloraWeb, postarei regularmente com várias dicas sobre Redação Científica. Não deixe de comentar o post sobre o que achou do conteúdo e sugerindo outras temáticas!

Para começar, resolvi discutir com vocês, 10 dicas de como escrever bem uma tese/monografia/dissertação/TCC. Trouxe a essa discussão um pouco do meu dia a dia na academia aliada a inúmeras leituras que tenho feito.

Cada programa de graduação e pós-graduação podem criar as próprias regras de redação e formatação desses trabalhos ou sugerir a adoção das regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas e Técnicas). Mas sempre tem aquelas informações que são universais. Vamos a elas?!

Espero que gostem!

  1. CTRL C/CTRL V NEM PENSAR!

O trabalho precisa refletir quem é você. A falta de tempo é uma desculpa muito comum para a realização desses temidos trabalhos de conclusões de etapas importantes de nossas vidas. Vez ou outra pensamos até em pedir a alguém que o faça. Essa é uma solução fácil, mas não correta! O mesmo vale para cópias de outros trabalhos. Isso se caracteriza como crime de plágio, passível de autuação. Isso sem contar o constrangimento moral e a possibilidade de você perder a titulação recebida.

Fonte: Pinterest

Fonte: Pinterest

  1. ANTES DE MAIS NADA, ESQUEMATIZE!

Antes de começar a elaboração da tese/monografia/dissertação/TCC, faça um planejamento de cada seção que terá. Quantas e quais serão, quantas páginas para cada, qual ou quais são as mais importantes que preciso dar maior atenção. Estruture a sua tese/monografia/dissertação/TCC antes de iniciá-la(o) e siga este guia mental ou rascunhado em papel. Isso será o seu norte ao longo do processo.

Fonte: http://br.ccm.net/faq/13975-publicar-conteudo-gratuitamente-na-internet

Fonte: http://br.ccm.net/faq/13975-publicar-conteudo-gratuitamente-na-internet

  1. PUBLICAR É O QUE HÁ!

Atualmente, há um grande estímulo à publicação dos resultados obtidos durante a realização da pesquisa que culminará na monografia, dissertação e tese. Programas de Pós-Graduação públicos e privados recomendam que o formato do trabalho seja na de artigo e não no “formato clássico” amplamente disseminado na academia.

Mas o que o difere do modelo dito “clássico”? Esse novo formato proposto, em resumo, possui:

– uma introdução geral da tese/monografia/dissertação/TCC,

– objetivos gerais e específicos,

– capítulos em forma de artigos científicos,

– conclusões gerais e

– referências bibliográficas.

Estes artigos tratam de cada objetivo desenvolvido ao longo do estudo, com seu resumo, introdução, objetivos, materiais e métodos, discussão, conclusão e referências. Geralmente ele vem formatado e na língua conforme normas da revista em que se pretende realizar a submissão. Em outro post passarei algumas dicas sobre como redigir um artigo científico de sucesso!

publica

Fonte: https://parapublicaranuncios.com.br/

  1. SEJA CLARO!

A tese/monografia/dissertação/TCC deve exibir todo o racional por trás do desenvolvimento da mesma. Ou seja, deve deixar clara a pergunta do seu trabalho, hipótese, premissas, seus objetivos e como você testou a sua hipótese. Descrever com detalhes as metodologias escolhidas. Cite toda e qualquer referência que você tenha utilizado para conceber a ideia do projeto e para discutir os seus achados.

  1. SEJA FOCADO!

Atenção! Cite e discuta referências apenas utilizadas na sua tese/monografia/dissertação/TCC. Não discuta ou apresente temas não abordados ao longo do trabalho. Seja focado. Discorrer sobre “tudo que se sabe sobre” poderá fazer o leitor se perder e se desmotivar. O ótimo é inimigo do bom. Pense nisto!

foco

Fonte: http://www.blogdofabossi.com.br/2015/06/o-poder-do-foco-lideranca/

  1. VALORIZE OS ACHADOS PRINCIPAIS!

Os anexos e apêndices da tese/monografia/dissertação/TCC devem conter dados secundários que não foram considerados altamente relevantes. Deve conter também os documentos solicitados pelo programa da sua instituição.

  1. LEITURA E MAIS LEITURA!

Tenha em mente quem será o leitor da sua tese/monografia/dissertação/TCC.

Um deles são os temidos avaliadores. Reflita sobre a sua banca examinadora. Algum dos integrantes trabalha diretamente com sua linha de pesquisa? Você citou os trabalhos relevantes dele para a sua pesquisa? Isso pode te ajudar na hora da defesa.

Outra dica é buscar na literatura tudo o de mais importante publicado sobre a sua linha. Isso o ajudará na discussão dos seus achados e na argumentação durante a arguição. E mais, a leitura te leva a formular possíveis hipóteses para aqueles achados inesperados que tanto nos “descabelam”! Quem sabe você não ache uma solução para eles?

Fonte: http://virtualmarketingpro.com/blog/sergiomedeiros/como-criar-um-esboco-para-todos-os-seus-artigos/

Fonte:http://virtualmarketingpro.com/blog/sergiomedeiros/como-criar-um-esboco-para-todos-os-seus-artigos/

  1. UMA PITADA DISSO, UMA PITADA DAQUILO!

Saiba dosar o tamanho das seções de sua tese/monografia/dissertação/TCC. A introdução deve fazer uma revisão da literatura e caracterizar o seu objeto. Ela não deve ser muito longa e nem muito curta. Deve ser o suficiente para o seu leitor ter um panorama geral sobre o que já se sabe sobre o assunto e compreenda o encadeamento de ideias que o levou a elaborar as hipóteses.

Você deve despender mais tempo na apresentação dos dados e em sua discussão. Deve abranger todos os pontos que você propôs estudar e responder as perguntas levantadas na introdução.

Finalmente, as conclusões não devem, como a introdução, serem longas. Alguns programas sugerem que sejam construídas em forma de tópicos, privilegiando assim, a sua objetividade.

 Fonte: http://marcelotoledo.com/startups-como-dividir-as-acoes-com-socios-fundadores/

Fonte: http://marcelotoledo.com/startups-como-dividir-as-acoes-com-socios-fundadores/

  1. É O QUE TEMOS PARA HOJE?

Não fique frustrado caso não consiga responder todas as perguntas formuladas no início de sua pesquisa ou se suas hipóteses foram refutadas. Isso é fazer pesquisa! A frustração faz parte da ciência, assim como da vida em muitos momentos.

Temos um tempo determinado para realizá-la e isso é um fator limitante muito importante. Por conta dele, não conseguimos fazer tudo o que desejamos. Sempre teremos a sensação de que poderia ficar melhor se fizéssemos isso ou aquilo. Calma! Você não está sozinho(a)! Todos temos estes e outros sentimentos ao longo da confecção da nossa tese/monografia/dissertação/TCC. Ela não é o ponto final de sua vida acadêmica. Encare-a apenas com uma primeira etapa.

Caso pretenda continuar a estudar o mesmo tema, você deve ter a percepção de possíveis estratégias alternativas de análises, pontos de possíveis fraquezas. Se tiver essa percepção será maravilhoso! Isso mostra que você realmente experimentou e vivenciou o espírito científico. E isso também vale para o caso de você mudar de área. Você iniciará novos projetos com um olhar mais crítico. Saberá lidar melhor com todo o processo.

Portanto, uma tese/monografia/dissertação/TCC de sucesso não é necessariamente àquela que recebeu nota máxima, que está toda “redondinha”. É aquela que você realizou cada etapa adequadamente, estudou, deu o seu melhor, defendeu da melhor maneira possível, fez o que estava ao seu alcance naquele momento e naquele seu grau de conhecimento e percepção. Imagine o quão legal é ver o seu trabalho citado e consultado por outras pessoas. Não acha?!

fim

  1. NUNCA ACABA!

Apresente e defenda a sua tese/monografia/dissertação com unhas e dentes! Nada de menosprezá-la ou dizer que você fez o melhor que pode para a banca. Se você a construiu, realizou cada etapa, deve ficar muito orgulhoso de si! Você não deve apresentar o que você esperava que ela se tornasse. Apresente exatamente o que ela é. Defenda o seu ponto de vista, tendo a humildade de reconhecer as possíveis limitações. Essas limitações podem, como eu disse, se tornarem novas estratégias de análises e propostas de estudos futuros.

Como um amigo me disse certa vez, um projeto de pesquisa nunca acaba! E não acaba mesmo! Novas perguntas sempre surgem. Isso é fazer ciência. Você ou outros pesquisadores podem vir a estudá-las no futuro. E se tiver só resultados negativos? Calma! Eles apontam caminhos que não devem ser seguidos no futuro. Tudo é válido desde que bem fundamentado.

Fonte: https://sites.williams.edu/cthorne/articles/six-theses-about-how-stories-end/

Fonte:https://sites.williams.edu/cthorne/articles/six-theses-about-how-stories-end/

 

Share